foto1
foto1
foto1
foto1
foto1
Bem-Vindo à Faculdade de Agronomia!


BRASIL  ESPAÑOL  ENGLISH

 

Linhas de Pesquisa

 

GENÉTICA E MELHORAMENTO ANIMAL

Desenvolver e adaptar metodologias e programas de avaliação genética; conhecer a população do ponto genético e estimar parâmetros básicos para trabalhos de melhoramento genético animal. Estudar a interação genótipo-ambiente nas espécies de interesse econômico.

SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE RUMINANTES

Busca desenvolver processos de produção de bovinos, ovinos e caprinos baseados na utilização das ferramentas de alimentação, manejo e reprodução.  Nessa linha são estudados os aspectos relacionados com as instalações para produção, a economia do sistema, o bem estar animal e a qualidade de produto. Ainda aprofunda o desenvolvimento de ferramentas para simulação dos sistemas de produção e para o suporte à tomada de decisão.

SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE NÃO-RUMINANTES

Busca desenvolver processos de produção de aves, suínos, eqüinos e peixes de água doce,  baseados na utilização das ferramentas de alimentação, manejo e reprodução.  Nessa linha são estudados a economia da produção, o bem estar animal e a qualidade de produto.

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO DE RUMINANTES

Busca desenvolver estudos relacionados com a nutrição e exigências de bovinos de corte e de leite, ovinos e caprinos, bem como aspectos do metabolismo e parâmetros ruminais dessas espécies. Além disso, estuda a avaliação de alimentos e aditivos.

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO DE NÃO RUMINANTES

Busca desenvolver estudos relacionados com a nutrição e exigências de aves, suínos, eqüinos, peixes de água doce e cães, bem como aspectos do metabolismo e dos parâmetros digestivos dessas espécies. Além disso, estuda a avaliação de alimentos e aditivos.

 

RELAÇÃO CLIMA-SOLO-PLANTA E ANIMAL

Para determinar as práticas adequadas de manejo, assim como as espécies que otimizam produção e persistência, as forrageiras promissoras são submetidas  a variações ambientais em parcelas de campo e casa de vegetação.  As relações entre o meio ambiente (radiação, temperatura, disponibilidade hídrica e mineral) e as plantas forrageiras de diferentes práticas de manejo, são estudadas  tratando de identificar e quantificar as adaptações morfológicas e fisiológicas que afetam o rendimento de forragem e sementes, conduzidos numa perspectiva de modelagem  descritiva e previsional dos fenômenos e das respostas das plantas aos fatores  considerados. A avaliação de pastagens constituídas de gramíneas e leguminosas, e/ou misturas mais adaptadas ao Rio Grande do Sul, envolve otimização de níveis de adubação e manejo (cortes e animais) para utilização eficiente da forragem produzida e acompanha o desempenho da pastagem, do animal e do solo quanto a características químicas e físicas.

ESTUDO DE PASTAGENS NATURAIS

Os campos nativos do Rio Grande do Sul são estudados de forma multidisciplinar, com ênfase em ecologia, melhoramento,  manejo e definição de práticas que possibilitem  sua melhor utilização pelos animais nas épocas de escassez de alimento, como ocorre nas estações frias ou com estiagens prolongadas.

CARACTERIZAÇÃO DE GERMOPLASMA E MELHORAMENTO GENÉTICO DE PLANTAS FORRAGEIRAS

Plantas potencialmente forrageiras são introduzidas através da importação de mudas e sementes  e  da coleta de material regional  e posteriormente avaliadas quanto a seu valor como produtoras de forragem em diferentes condições ambientais do Rio Grande do Sul. A determinação da variabilidade genética do germoplasma introduzido e/ou coletado é feita com  base em características agronômicas, fenológicas, reprodutivas, citogenéticas, moleculares e bioquímicas. Posteriormente, através do uso de métodos de melhoramento genético, podem ser desenvolvidas novas cultivares com maior adaptação, persistência e produção de forragem de boa qualidade.

ECOLOGIA, PRODUÇÃO E TECNOLOGIA DE SEMENTES

Estudo da ecologia de sementes e bancos de sementes, da influência de condições ambientais bióticas e abióticas sobre a produção de sementes. Pesquisa de soluções tecnológicas para a produção de sementes, considerando quantidade e qualidade, de plantas forrageiras utilizadas no Estado, assim como de espécies nativas com potencial forrageiro.

 

 

Copyright © 2020 Copyright Faculdade de Agronomia - UFRGS Rights Reserved.