No dia 26 de julho de 2020, uma semana após completar 90 anos, faleceu o Prof. ELIO CORSEUIL, docente aposentado do Departamento de Fitossanidade, antecedido pelo Departamento de Fitotecnia, e do PPG Fitotecnia, antecedido pelo PPG Agronomia, da Faculdade de Agronomia.

O Prof. Corseuil nasceu em 20 de julho de 1930, na cidade de Porto Alegre, filho de Júlio Alberto Corseuil e Ilma Bruck Corseuil. Cursou o Ginásio no Colégio Anchieta e o Científico, no Colégio Estadual Júlio de Castilhos. Naquela época, tinha simpatia pela química e pela biologia, especialmente pelos insetos. Em 1948, inscreveu-se nos vestibulares para os cursos de História Natural, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), e de Agronomia, da então Escola de Agronomia e Veterinária, da Universidade do Rio Grande do Sul (URGS). Pela coincidência na data da prova de Biologia, finalizou apenas o segundo, ingressando em 1949 e graduando-se em 1952 como Engenheiro Agrônomo, sendo o primeiro colocado da turma.

Em 1953, convidado pelo Prof. Ramiro Gomes Costa, iniciou a atuar na equipe de pesquisadores do Serviço de Entomologia da Diretoria de Produção Vegetal da Secretaria da Agricultura do RS, sendo, a seguir, nomeado definitivamente mediante concurso público. Seu interesse pela carreira na área da Entomologia surgiu da disciplina de Entomologia e Parasitologia Agrícolas, com o Prof. Clândio Osório Pereira, na Escola de Agronomia e Veterinária, da antiga URGS. À época, teve o apoio do Engo. Agro. Dauro Corrêa Redaelli, posteriormente também professor da Escola. Em 1954, conduziu o primeiro experimento laboratorial do RS para avaliação de alguns inseticidas para o controle de lagartas, que gerou sua primeira produção científica, um artigo sobre Erinnyis ello (L.,1758), vulgarmente conhecido como maranduvá da mandioca, publicado no Boletim do Campo, nº 75 de dezembro de 1954. Atuou junto à Secretaria da Agricultura até 1977, onde também exerceu a Chefia da Seção de Defesa Sanitária Vegetal.

Em 1955, passou a auxiliar o Prof. Ramiro Gomes Costa na disciplina de Entomologia e Parasitologia Agrícolas da Faculdade de Agronomia. Em 1956, foi nomeado Auxiliar de Ensino na mesma disciplina, dando início a sua carreira docente nesta escola.

Em 1957, casou-se com a Profa. Olga Maria Corseuil, com quem gerou os filhos Nisandro Corseuil, engenheiro elétrico, e Bletisia Corseuil, engenheira civil.

Na Faculdade de Agronomia, ministrou várias disciplinas de graduação e pós-graduação, desenvolveu pesquisas com insetos e orientou muitos estudantes, principalmente no PPG Fitotecnia. Nesse período, teve como contemporâneos de trabalho na Entomologia os professores Dauro Correa Redaelli, Fernando Zanotta da Cruz e Rogério Pires da Silva (todos in memoriam) e, mais tarde, Gervásio Silva Carvalho e Luiza Rodrigues Redaelli. Em 1977, por provas e defesa de tese referente a estudos de controle de Nezara viridula e Piezodorus guildini na cultura da soja, obteve os títulos de Livre Docente em Entomologia e Parasitologia Agrícolas e Doutor em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Em 1988, coordenou a elaboração de um índice de risco para uso de agrotóxicos, publicado na revista Veritas, dirigido principalmente às pragas da soja, com grande atenção aos indicadores biológicos e inimigos naturais, adotado nas reuniões anuais de pesquisa da soja na Região Sul do Brasil. Aposentou-se na Faculdade de Agronomia em 1987, como Professor Titular em Entomologia, mas continuou colaborando como docente convidado na orientação de estudantes de pós-graduação até 1997.

Em 1958, a convite do Prof. Jorge Godofredo Felizardo, passou a atuar também como professor do Curso de História Natural da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), onde trabalhou, até poucos anos atrás, como docente e orientador em programas de pós-graduação e também como curador de coleções entomológicas do Museu de Ciências e Tecnologia.

Sua destacada atuação nas duas Universidades e na Secretaria da Agricultura é traduzida por muitas orientações de estudantes, com destaque para 36 dissertações de mestrado e 8 teses de doutorado, e uma vasta produção em publicações de artigos científicos, livros, capítulos de livros e resumos, trabalhos e participações em eventos científicos nacionais e internacionais, nas áreas de entomologia e zoologia. Por seu grande conhecimento, dedicação, trabalho metódico, organização e didática diferenciada no ensino dos insetos, era um professor muito conceituado e reconhecido pelos alunos, o que lhe rendeu inúmeras distinções como professor homenageado ou paraninfo de turmas de formandos, tanto na UFRGS como na PUCRS. Entre muitas homenagens recebidas, destacam-se a do XX Congresso Brasileiro de Entomologia, em 2004, em Gramado, RS, por sua contribuição à entomologia brasileira, e a homenagem prestada pelo pesquisador Dr. Lauro José Jantsch, que descreveu, em 1986, uma espécie de mantódeo com o nome de Tithrone corseuili. Foi membro das Sociedades Brasileira de Entomologia, Entomológica do Brasil, Brasileira de Zoologia e Entomológica Argentina.

Foram, portanto, mais de 65 anos de contribuições em ensino, pesquisa e orientação, sendo 41 anos na Faculdade de Agronomia, no hoje Departamento de Fitossanidade. Setor de Entomologia, sua grande paixão. Além de toda sua contribuição como professor de muitas turmas de agrônomos, biólogos e outros cursos, deixa um grande legado na orientação e formação de muitos entomologistas, atuantes como pesquisadores e professores em várias instituições brasileiras.

Mais informações sobre a formação, carreira e contribuições do do Prof. Elio Corseuil podem ser acessadas em

http://www.ebras.bio.br/entomol/entomol_desc.aspx?code=B67FA56E6

Em nome da comunidade acadêmica, a Direção da Faculdade de Agronomia manifesta aos familiares e amigos do Prof. ELIO CORSEUIL os sentimentos pela imensurável perda e, por oportuno, expressa o reconhecimento e os agradecimentos pelo seu trabalho e contribuições a esta instituição e à ciência brasileira.