- considerando a ocorrência de uma sobreposição das ondas da pandemia de Covid-19, no estado RS, com predominância de bandeira vermelha em todas as regiões e com taxas de infecção crescentes;

- considerando a dificuldade de implementação de protocolos de biossegurança, que necessitam ainda de um aporte adicional de verbas para sua efetiva implementação;

- considerando que o retorno presencial teria como consequência o aumento do número de infecções, como já demonstrado pelas experiências de outros locais do RS e do país;

- considerando que essas infecções não atingiriam somente a comunidade universitária, que inclui muitas pessoas em grupos de risco, mas também suas famílias e comunidades, aumentando em muito o risco para as pessoas mais vulneráveis;

- considerando que não existe cobertura garantida de testagem para o vírus para todos e que tampouco há um plano definido de acesso às vacinas;

- considerando que o modelo do Ensino Remoto Emergencial (ERE), guardadas suas limitações e o limite dos recursos orçamentários, tem sido utilizado de modo efetivo pela Faculdade de Agronomia, assim como pela UFRGS;  

- considerando as limitações de espaço físico verificadas na unidade, que inviabilizam a condução de atividades de ensino presenciais seguidas as regras de afastamento entre pessoas preconizadas pelas normas de controle à pandemia;

- considerando, principalmente, os princípios da autonomia universitária previstos em lei;

- considerando que a Faculdade de Agronomia se posiciona de forma intransigente na defesa da vida,

O Conselho da Unidade da Faculdade de Agronomia se manifesta enfaticamente pela inviabilidade de retorno às atividades presenciais no momento e pela manutenção do calendário acadêmico aprovado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE), com permanência do plano de Ensino Remoto Emergencial (ERE) no semestre 2020/02.

 

Porto Alegre, 04 de dezembro de 2020.

Conselho da Unidade FAGRO