Apesar de ter uma grande importância econômica para o Rio Grande do Sul e o Brasil, a pecuária ainda apresenta números gerais, nas duas esferas, que demonstram a grande oportunidade e caminho a percorrer em busca de eficiência nos sistemas produtivos.  A ABIEC, na última edição do relatório anual Perfil da Pecuária no Brasil (2016), revela uma taxa de desfrute de 18,78%. O resultado ruim desse indicador de produtividade é devido a idades tardias de abate e inicio da vida reprodutiva nas fêmeas de reposição, bem como, baixas taxas de natalidade e repetição de cria. São necessários amplos investimentos e conhecimentos em sanidade, nutrição e manejo para mudar este cenário. Para que todos esses esforços se viabilizem financeiramente, são indispensáveis animais cada vez mais eficientes na utilização destes recursos para a produção de crias e carne. Atenta às necessidades deste segmento, a UFRGS investiu em um sistema de cochos eletrônicos (foto 1) (foto 2) (foto 3), instalado em sua Estação Experimental Agronômica (EEA), que irá servir como instrumento para investigar a característica de eficiência Consumo Alimentar Residual (CAR) e suas relações com características de carcaça, precocidade sexual e comportamento animal. O objetivo destes estudos será ampliar os conhecimentos destas relações e desenvolver ferramentas para auxiliar produtores na seleção de animais cada vez mais eficientes. (foto 4) (foto 5) (foto 6).